24 de outubro de 2012

É hora de escolher [!]



Hoje eu ouvi Deus. E foi de um modo um tanto quanto duro. Conforme eu O ouvia, as lágrimas caíam e apenas uma certeza: a de que a hora H chegou pra mim. A hora de optar pelo caminho que seguirei daqui pra frente: se o caminho do cristianismo de superficialidade ou se o caminho do cristianismo de profundidade de relacionamento com o meu Criador. Num primeiro momento pode parecer uma escolha fácil de se fazer, porém, o Espírito Santo revela a mim que esse segundo caminho (do cristianismo profundo) exigirá de mim SACRIFÍCIOS. E, sabe? A verdade é que eu nunca me deixei sacrificar por nada. Eu sempre fui egoísta, sempre desejei o que meu coração dizia que era o melhor pra mim e fim de papo. Negar a mim mesma? Sempre lia essa passagem na Bíblia Sagrada, achava bonitinha, me emocionava, até chorava, mas na prática? A prática sempre foi bem diferente. Eu sempre fui o lado certo da história e o erro e a necessidade da mudança sempre deveriam vir do outro ... sempre assim, SEMPRE. Mas como seguir a Cristo dessa maneira? Como seguir a Cristo sem sacrifícios? Abraão foi apenas um exemplo de quem escolheu obedecer e sacrificar-se a si mesmo e não se arrependeu disso. O apóstolo Paulo de Tarso também. Este escolheu esmurrar-se a si mesmo e carregar a sua cruz, a cruz necessária para todo aquele que verdadeiramente escolhe seguir e ser fiel ao seu Senhor. E agora eu sei: chegou o meu momento, a minha hora de dizer “Sim, Jesus, eu abro mão de mim mesma pra viver por Ti e para Ti de uma maneira verdadeira e profunda, buscando todo o tempo Te ouvir e Te obedecer” ou “Não, Jesus, eu prefiro continuar Te ignorando e empurrando com a barriga aquilo que eu já Te ouvi dizer que eu preciso mudar em mim”. Agora é comigo. Deus falou e espera de mim uma resposta. E talvez você que lê esse texto agora esteja passando por esse mesmo momento delicado que exige de nós muita coragem na hora da escolha. Que eu e você tenhamos o discernimento necessário para escolhermos o melhor caminho! Sabe, as vezes eu encho Deus de questionamentos, querendo que Ele me confirme o meu propósito de existência nessa Terra, o porquê de eu estar viva, o meu chamado e tudo o mais ... mas hoje eu acho que entendi algo: antes de Deus me revelar o Seu querer para a minha vida, Ele quer saber se eu estarei disposta a segui-lO independente de qualquer coisa. Ainda que para isso seja necessário que eu abra mão dos meus sonhos mais profundos do coração só para viver os sonhos dEle que serão sempre bons, perfeitos e agradáveis. Sendo assim, a minha primeira atitude a ser tomada depois de hoje é responder a mim mesma “Eu estou realmente disposta?” e dependendo da resposta, eu poderei começar a entender todo esse mistério que é a minha existência, o meu respirar de vida por aqui e aí sim, toda essa angústia que há em mim dirá “adeus” e eu viverei de um modo realmente diferenciador, transformador, o modo de viver de Jesus Cristo.
Eu encerro esse texto com um trecho da fala de um sermão do pastor Ed René que tem sido uma forte influência na minha caminhada nos últimos meses:
Existe esse princípio nas Escrituras: As pessoas à quem Deus se dá, as pessoas que Deus escolhe, junto com toda a benção e favor de Deus vem um kit sofrimento, um kit angústia, um kit perseguição. Os servos de Deus são sofredores porque a parceria com Deus exige sacrifícios.” (Sermão: ‘Os servos sofredores de Deus’ pr Ed René). 

4 comentários:

  1. Ótimo texto que revela alguém que vive verdadeiramente o evangelho de Cristo. Infelizmente cristãos brasileiros ("crentes", "evangélicos" ) têm vivido um evangelho de dívida de Deus em relação a eles. É como se Deus sempre lhes devesse algo e a dádiva da salvação por Cristo fosse apenas um acessório. Mas, aquele que realmente recebeu a Cristo quer viver por Ele e para Ele, reconhecendo que não há vida cristã sem renúncia, sem cruz...

    ResponderExcluir
  2. Priscila, obrigada pelo comentário!
    Sim, é isso mesmo ... a cruz é necessária todos os dias! Corramos para ela então!

    ResponderExcluir
  3. Oi, Monique.
    Li sua postagem hoje e curiosamente, o Espírito Santo falou sobre sacrifício comigo ontem em meu tempo de devocional.
    Antes de começar a orar, eu estava olhando pra Cristo e vendo os milagres que ele fazia. E eu me perguntei: "Por que a igreja hoje não faz esses milagres?" E deixei a pergunta para lá.

    Quando fui orar, só me vinha a mente a imagem de Cristo na cruz. Eu não consegui orar. Parei e fui ler sobre a crucificação. Na minha mente latejava a palavra, como a resposta da minha pergunta: "Sacrifício, Sacrifício, Sacrifício"

    A igreja do contemporâneo serve seu próprio estômago, faminto e insaciável. Alimenta suas vontades num arremedo de evangelho que esquece do pobre, do necessitado e se vê como o eterno consumidor das bênçãos restituídas no momento em que Deus abre as "comportas do céu".

    Eu não me isento desse lugar. Olho pra ele. Eu tenho um pouco de medo do sacrifício, mas meu coração anseia o coração de Cristo, minha vida anseia a vida de Cristo em mim. Eu quero permanecer nEle, para que Ele permaneça em mim.

    ResponderExcluir
  4. Rafa, obrigada pelo comentário! E o que dizer? Creio que foi confirmação do Espírito Santo.
    Glórias a Ele!

    ResponderExcluir

Obrigada pelo comentário! Volte sempre!