18 de outubro de 2016

O amor que eu quero


O amor é a principal virtude. O amor é o maior mandamento de Deus. O primeiro, amar a Deus de todo o coração e entendimento; o segundo, amar ao teu próximo como a ti mesmo. Como é amar o meu próximo como a mim mesmo? Creio que só aprendendo a amar a Deus de todo o coração e entendimento é que conseguirei amar o meu próximo. Cada vez que eu escolho não tomar atitudes de amor para com o meu próximo, estou negando amar a Deus. Podemos dizer que existem dois tipos de amor: 1- o que se amolda segundo à Palavra de Deus e 2- o que se amolda segundo os padrões desse mundo. Cabe a mim escolher sob qual lógica de amor vou basear a minha vida.
Se escolho viver o amor segundo à Palavra, vai doer? Sim, vai. Vai porque esse tipo de amor vai exigir de mim renúncia ao meu querer em favor do querer do outro; vai porque terei que deixar de lado meu egoísmo, meu egocentrismo, meu orgulho, minha lógica do ‘dar e receber’ para olhar para o outro e me colocar em seu lugar. Aliás, o amor segundo à vontade de Deus é o exercício constante de olhar para o outro. Fica a reflexão: o quanto tenho deixado de olhar para mim e tenho olhado para o outro?
Por outro lado, se escolho viver o amor segundo a lógica mundana, é simples: enquanto estiver recebendo do outro o amor, a atenção, o carinho que mereço, eu retribuo tudo isso e está tudo bem. A partir do momento em que me faltar atenção, carinho, amor, paixão etc, eu não amo mais e descarto aquele relacionamento. Afinal, segundo essa lógica eu não preciso me esforçar pelo amor, pois tudo se trata de dar e receber. Havendo isso, há amor. Não havendo isso, não há amor. Se Deus tivesse agido conforme essa lógica do ‘dar e receber’ estaríamos literalmente fritos, uma vez que não teríamos nada a lhe oferecer pra que fôssemos salvos. Cristo nos foi dado por uma atitude de AMOR, nesse caso, traduzido como GRAÇA e a graça é o tipo de amor que faz sem esperar retribuição. É esse o padrão de amor que eu quero viver. Um amor inteiro, não caído, um amor fora do padrão dos filmes e novelas da tv, um amor que seja cristocêntrico. É nisso que acredito, é por isso que lutarei.


Monique Campos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo comentário! Volte sempre!